Últimas Notícias
Destacar Palavra no Texto
 
 

Data: 29/08/2014

RECEITA FEDERAL NEGA PEDIDO DE ADIAMENTO DE NOVO REFIS DA COPA


A Receita Federal não irá prorrogar o prazo de adesão ao chamado Refis da Copa, o novo programa de parcelamento de débitos tributários cujo acesso somente via internet foi encerrado na última segunda-feira - 25/08. Advogados recomendam que devem recorrer à Justiça com mandado de segurança os contribuintes - pessoas físicas e jurídicas - que não tenham conseguido aderir por problemas no site da Receita. Na tarde de 25/08 coube ao subsecretário de Arrecadação e Atendimento da Receita Federal, Carlos Roberto Occaso, anunciar em alto e bom som que o prazo do programa é improrrogável.

Ele disse que essa é uma decisão que compete ao Congresso Nacional e não do órgão de fiscalização e arrecadação de tributos federais. Occaso explicou a manutenção do prazo a uma comitiva de representante da Fenacon, entidade nacional das empresas contábeis. O subsecretário deu a informação ao receber da entidade cópias de vários relatos de usuários que não conseguem realizar a adesão ao programa. "Com a apresentação dos relatos, foram realizados vários testes on-line para acessar o sistema e em todas as tentativas, houve sucesso. Isto é, os problemas relatados em mensagens não se concretizaram na prática, apesar de os especialistas admitirem que, em algumas situações, é possível acontecer congestionamento do sistema."

A recomendação de acionar a Justiça foi feita pelo advogado Tácito Matos, advogado da área tributária e sócio do escritório paulista L.O. Baptista-SVMFA.

"Alternativa judicial é válida, se o contribuinte conseguir comprovar que não conseguiu aderir ao Refis por dificuldade do sistema", disse o advogado ao DCI. Ele reclamou, porém, que houve atropelo na aprovação das normas do programa e a Receita teve tempo muito curto para se preparar.

Para Eduardo Amaral, gerente societário da Confirp Consultoria Contábil, "o novo Refis é muito vantajoso", com parcelamento em até 180 meses. No entanto, aponta que o período de adesão só teve início no dia 1º de agosto, dando pouco tempo para as empresas avaliarem as alternativas para aderir.

"Além disso, estamos observando a existência de dificuldades dentro do governo para consolidar as informações das dívidas, assim, a prorrogação do prazo se torna uma necessidade", relatou.

Para quem aderiu, a Confirp recomenda que avalie se fez um levantamento dos débitos tributários que possuem, seguido de uma análise das melhores formas de pagamento. Quem aderiu e teme ter cometido erro pode desistir do parcelamento até 31 de outubro. Segundo a Fenacon, esse prazo é igualmente aplicado aos débitos previdenciários e demais débitos administrados pela Fazenda.

Fonte: Notícias Fiscais.

 
© 2000 - 2017 SR CONTABILIDADE
 Todos os direitos reservados.
Rua 126, nº 165 - Centro
Itapema - SC - Cep 88220-000